Como ser astronauta?

 

 

 

Para ser astronauta é preciso o intermédio de uma agência espacial. Hoje, a agência mais desenvolvida do mundo é a NASA, é a que mais possui missões ao espaço, e o caminho mais comum para quem quer ser astronauta.

Infelizmente para trabalhar na NASA é preciso ser cidadão americano. Mas não significa que um estrangeiro não possa se tornar um astronauta. 

 

Há vários não americanos que são astronautas pela NASA, isso pode acontecer de duas formas: ou você consegue cidadania americana, ou o país manda um representante para a NASA, foi o que aconteceu com o astronauta Marcos Pontes.

Marcos Pontes é um brasileiro que virou astronauta, e foi para o espaço através da NASA.

 

Quando o Brasil entrou para o programa espacial internacional, foi feito um acordo com a NASA, e o Brasil pediu para enviar um astronauta brasileiro.

 

Para isso, foi aberto um concurso aqui no Brasil, na Agência Espacial Brasileira, na qual ele foi aprovado e enviado para a NASA.

 

Infelizmente a possibilidade de isso acontecer novamente no nosso país é muito pequena, mas não impossível. É desse mesmo jeito que outros astronautas não americanos vão para a NASA.

Marcos era tenente coronel da força área brasileira, um piloto, formado em engenharia espacial pelo ITA, essa formação ajudou bastante para que ele fosse escolhido.

 

O currículo é muito importante, não há uma graduação específica para se tornar astronauta, normalmente na área de exatas, sendo mais comum física ou alguma engenharia ou relacionadas com aeronáutica.

 

Mas é importante que você tenha se formado em uma universidade de qualidade, tenha bom desempenho acadêmico, continue seus estudos, fazendo mestrado e doutorado, e tenha adquirido experiência trabalhando com assuntos relacionados aos da NASA, em instituições de qualidade.

Os pré-requisitos para se tornar astronauta vão muito além de ser americano: o profissional deve ter pelo menos 3 anos de experiência na sua área, se for piloto é preciso de pelo menos 1.000 horas de vôo, ter pressão arterial regulada, altura entre 1,57m a 1,90m, boa visão, boa saúde e condicionamento físico. 

 

O programa da NASA é civil, mas muitos astronautas vêm da carreira militar, normalmente da aeronáutica. Cursos de pilotagem e mergulho contam pontos no currículo.

 

Além de atender aos requisitos do currículo, é preciso passar por um processo seletivo que demora vários dias com diversas entrevistas.

 

A concorrência é muito grande, normalmente quando há uma seleção, milhares candidatos se inscrevem e a NASA seleciona cerca de oito ou dez ou cinco, um número bem pequeno.

Depois de passar pelo processo seletivo, os astronautas são treinados em ambientes que simulam gravidade zero, conhecem cada detalhe da Nave, como funciona, e o que é preciso para consertar, e aprendem os mais diversos assuntos, como medicina e biologia.

A NASA divulga seus processos de seleção em seu site (mas esses são os processos para americanos), você pode ficar atento também ao site da AEB (Agência Espacial Brasileira).

 

É importante dizer que existem pouquíssimos astronautas no mundo, as seleções são raríssimas, e a demanda para esse profissional é muito baixa, pois o homem ainda não tem muita coisa para fazer no espaço. 

 

A boa notícia é que com certeza essa profissão irá crescer, o homem vem avançando cada vez mais no ramo da astronomia e a tendência é que haja um aumento no número de viagens espaciais.

Hoje em dia, a exploração espacial é completamente restrita ao setor público, mas existem indícios de que isso pode mudar.

 

Já existe uma nave fabricada só com recursos privados, e pode ser que no futuro tenha mais empresas que trabalhem nesse ramo, e que haja astronautas que trabalhem para o setor privado.

Mas, se você não necessariamente quer ser um astronauta profissional e só tem o sonho de conhecer o espaço, esse sonho é bem mais fácil de realizar, e não demora. 

 

Uma opção é o turismo espacial. Turismo espacial são viagens feitas por pessoas comuns que desejam conhecer o espaço. Hoje em dia isso já existe, mas é restrito a pessoas dispostas a gastar muito dinheiro, a previsão é que em um futuro próximo essas viagens se tornem mais baratas e populares. 

Veja também sobre astrônomos amadores.