Mercado de Trabalho em Educação Física

 

 

O mercado de trabalho para esse profissional é bastante amplo e, hoje em dia, está bastante promissor, pois estamos passando por um período em que há uma "moda fitness" e uma grande preocupação com o corpo.

Para saber mais, veja abaixo os lugares que esse profissional pode trabalhar.

 

Setor Público

O setor público tem como função fornecer bens e serviços para os cidadãos. O profissional que trabalha no setor público está gerando impacto direto na vida da população, por isso, é muito importante que haja bons profissionais na área.

​A carreira nesse setor tem muitas vantagens, como estabilidade financeira, uma jornada de trabalho reduzida licenças remuneradas, abonos e salários iniciais atraentes.

Mas há algumas desvantagens também, com certeza você já ouviu alguém dizer que o setor público não funciona como deveria funcionar.

O trabalho pode ser muito burocrático, muitas vezes, depende de outras pessoas e de questões políticas, por conta disso, os resultados podem demorar a vir e é muito fácil o funcionário se sentir desestimulado, é preciso paciência e persistência.

 

Concurso público

 

Para seguir carreira pública, os profissionais passam por um concurso público. Se essa for sua intenção quanto mais cedo começar a se preparar para um concurso mais chances tem de conseguir a vaga.  Para isso é só preciso estudar!

Mas nem todos os cargos no setor público são por meio de concurso, há também os cargos de confiança, que são por nomeação, e os cargos políticos.

Cargos de gestão, de chefia e de formulação de políticas, pedem bons conhecimentos acadêmicos, por isso, é comum que as pessoas que almejam esses cargos continuem os estudos além da graduação e se envolvam em atividades acadêmicas.

Não há muitos concursos para os profissionais de educação física, a grande maioria deles são para professores para trabalharem em escolas públicas.

Os concursos para professores são exclusivos para profissionais formados em licenciatura. Normalmente esses concursos são para trabalhar por 20 horas semanais, e o salário não costuma ser muito atrativo, cerca de 1.100 1.200 reais.

Os concursos com carga horária maior que 30 horas semanais ofertam um salário maior, cerca de 2.500 - 3.000 reais. De acordo com os editais que encontramos.

Além de escolas, o educador físico pode prestar concurso para trabalhar no PSF (programa de saúde da família). 

 

Sendo educador físico do PSF, esse profissional irá elaborar exercícios específicos para determinados grupos de pessoas.

 

Muitas vezes fazem visitas a casas e precisam ir atrás da população, por isso, é importante ter bastante disposição, saber que terá que correr atrás de pessoas para realizar seu trabalho, e não desanimar frente a burocracia do setor público.

Infelizmente, esse profissional não ganha um salário muito atrativo, e não são todas as prefeituras que abrem concurso para o educador físico.

Além dessas opções, esses profissionais podem trabalhar em cargos de gestão, na Secretaria de Esportes das cidades, sendo diretores e secretários de esporte, e no Ministério dos Esportes.

 

Mas esses cargos são por concurso, e sim por nomeação. São nomeados por prefeitos, governadores e o presidente.

Setor Privado

O setor privado é o local que mais oferta vagas de emprego para qualquer profissão. Os principais locais que o educador físico pode trabalhar são:

 

Academias

Academias são lugares onde as pessoas vão para se exercitar, com equipamentos próprios para isso, e com ajuda de um profissional, o personal trainer, para que realizem os exercícios corretamente, sem provocar lesões, e para alcançarem os resultados que desejam.

O educador físico também pode dar aulas de dança, natação, boxe, e outras coisas na academia, ele está habilitado para isso. 

 

Mas para ser treinador de uma modalidade de exercícios específica, como crossfit, por exemplo, é preciso fazer cursos específicos.

A melhor maneira de conseguir um emprego em uma academia é fazendo estágio em uma, enquanto ainda está na faculdade.

 

Apesar do estágio nesse curso ser obrigatório, o estudante pode e deve procurar além do obrigatório.  Mesmo o curso sendo integral é possível conseguir um estágio a noite ou ajustar o horário de alguma forma.

 

Ongs

O esporte é um grande instrumento para mudar vidas, e para inserir jovens e adultos na sociedade. Tem o poder de ajudar pessoas que estão em situação de vulnerabilidade social, podendo melhorar o desempenho escolar e inserção profissional.

Há várias ongs relacionadas a esporte no Brasil, que demandam o trabalho do educador físico, segue abaixo algumas.

Instituto bola para frente

http://bolaprafrente.org.br/como-apoiar/

 

ACM-RS

 www.acm-rs.com.br

 

Esporte Educação

 www.esporteeducacao.org.br

 

Instituto fazer acontecer

 http://www.institutofazeracontecer.org.br

 

 

 

 

 

 

 

Escolas

Esse é um dos lugares que mais ofertam vagas de trabalho para quem faz educação física, no entanto, se você quer ser professor é preciso que faça o curso de licenciatura.

Como em qualquer profissão a melhor maneira de conseguir um emprego em uma escola é fazendo estágio. No curso de licenciatura o estágio é obrigatório em escolas, mas procure fazer além do obrigatório.

 

Para trabalhar em escolas públicas é preciso passar por um concurso. 

 

Infelizmente, o salário pra professor não costuma ser muito atrativo, principalmente em escolas públicas.

O profissional também deve lembrar que será, antes de tudo, um professor, deve gostar de lidar com jovens e crianças, e de ensinar.

 

Clubes esportivos

O educador físico pode trabalhar em clubes esportivos dando aulas de diferentes modalidades esportivas, vôlei, tênis, natação, etc.

Apesar de passar por todas as modalidades enquanto está na faculdade, é importante que se especialize na que quer ensinar.

 

E de preferência, trabalhe com ela enquanto estiver na faculdade, procure um estágio ou emprego em um clube.

Os estágios mais específicos na área de vôlei, lutas marciais, ou alguma outra modalidade, são mais comuns em grandes cidades, até porque é onde tem a maior concentração desses clubes. Em cidades menores é mais difícil conseguir emprego nessa área.

 

Empresas

Algumas grandes empresas contratam esse profissional para orientar os colaboradores a fazerem ginástica laboral.

 

Apesar de não ser muito conhecido, nem muito popular entre os estudantes de educação física, há uma grande oferta de vagas para o profissional que querem trabalhar com essa área.

 

Empresas de turismo, hotéis e spas

Esse tipo de empresa contrata o educador físico para desenvolver atividades recreativas, ou no chamado turismo de aventura, para acompanhar turistas em atividades como montanhismo, escaladas, etc. 

Vagas de emprego para esses lugares estão concentradas em cidades turísticas. E são mais comuns nas regiões Norte e Nordeste.

Normalmente o aluno não aprende muita coisa sobre esportes radicais na graduação, então se quiser seguir essa área precisa se envolver com essas atividades por contra própria, procurar um curso, ou algo que ofereça uma certificação (uma boa maneira é começar praticando os esportes).

 

Personal trainer individual

Também é possível trabalhar como personal trainer sem ser em uma academia, de maneira autônoma, realizando atendimento particular.

Como já foi dito, quando falamos sobre academias, o personal trainer é um profissional que orienta pessoas na prática de exercícios físicos.

 

Ele tem conhecimentos para prevenir lesões e ajudar a chegar ao resultado desejado. Perder peso, ganhar músculos, etc.

O profissional que resolve trabalhar como autônomo é como se tivesse um mini empreendimento.

 

Precisa conhecer bem o mercado em que atua, e ter outras preocupações além das orientações nos exercícios, como saber quanto cobrar, como fazer divulgação, etc.

 

 

Área Acadêmica

A área acadêmica é a área que se dedica a pesquisas científicas. A sua função é realizar pesquisas com intuito de resolver problemas, facilitar processos, obter mais informações sobre determinado assunto, contribuir para a melhoria de algo, e passar conhecimento.Quem escolhe essa carreira pode fazer pesquisas na área que desejar.

A grande maioria dos pesquisadores trabalham em uma universidade e são professores também, mas isso não acontece necessariamente. 

 

Para trabalhar em uma universidade pública é preciso passar por um concurso, ou trabalhar como temporário. Em faculdades particulares o que conta é o currículo acadêmico. 

Um pesquisador/professor pode chegar a ganhar muito bem, mas para isso é preciso tempo e dedicação.

O início de carreira não paga muito bem e os resultados também não aparecem rápido, no início as pesquisas serão mais simples e pode ser difícil visualizar resultados práticos nelas. 

É preciso tempo e esforço para realizar uma pesquisa que traga grandes resultados, mas quando realizada tem capacidade de gerar um grande impacto na vida das pessoas. 

Para seguir esta carreira é importante gostar de estudar, e se envolver no máximo de atividades acadêmicas que puder. Quando ainda estiver na graduação você pode participar de um projeto de iniciação científica, outros projetos de pesquisa e participar de eventos acadêmicos.

A participação nessas atividades contam pontos no seu currículo. É essencial que siga estudando, que faça mestrado,  doutorado, e gostar da vida acadêmica.

O educador físico pode fazer pesquisas em diversos assuntos , abaixo falamos sobre alguns:

Esse profissional pode realizar estudos sobre desempenho no esporte, investigar os aspectos biológicos e comportamentais do movimento humano em diferentes contextos (habilidades motoras, etc).

Também realiza estudos sobre metodologia de ensino e formação de professores em educação física (mais comum em cursos de licenciatura), e estudos históricos e sociológicos relativos ao corpo, esporte, lazer e a relação entre o corpo e a sociedade.

Há também pesquisas na área de biologia e física, como por exemplo, sobre os efeitos do exercício no sistema cardiovascular, nutrição e genética no esporte.

E assuntos mais focados em esportes, como desempenho esportivo, o que influencia no rendimento de um atleta e na manutenção e perda da forma esportiva. A aquisição de habilidades durante o ciclo de vida, entre outros assuntos.

Também há pesquisas sobre aspectos psicossociais no esporte, a motivação e a personalidade, estados emocionais, variáveis sociológicas, e como esses fatores afetam e são afetados pela prática esportiva.

Além de áreas que não são diretamente relacionadas com educação física, como gestão, política, marketing e comunicação em esporte e educação física. E muitos outros assuntos.

 

Se você já se interessa por algum assunto específico, entre no site do departamento do curso de educação física da faculdade que te interessa e procure pelos professores e pelas áreas de pesquisa dos professores. 

 

Normalmente há essa informação, se não houver procure pelo nome dos professores e cheque o currículo lattes.

 

Se puder dê preferência pela faculdade que tenha professores que atuem na área que você se interessa, assim será mais fácil fazer pesquisas e se iniciar nessa área.

Veja também as áreas de trabalho para o educador físico.