O que o músico pode fazer e onde pode trabalhar?

O músico pode trabalhar realizando muitas atividades, em áreas diferentes, e em lugares diferentes. Saiba abaixo as principais ocupações e os principais lugares de trabalho desse profissional.

Saiba também sobre a profissão de compositor.

Arranjador

Em música um arranjo é a preparação de uma composição, para que seja executada. Ou seja, o arranjador reescreve o material pré-existente para que fique de forma diferente das execuções anteriores, e mais atraente para o público, deixa a música mais harmônica.

Fazer um arranjo musical é acrescentar, reescrever e dar outras características para uma música inédita, mas respeitando a melodia. Muitas vezes os próprios compositores fazem os arranjos para suas músicas.

O músico que faz arranjos precisa ser um músico experiente, e com muitos conhecimentos musicais.

O arranjo é usado na composição de músicas para outros músicos, orquestras, composição de trilhas sonoras e outras coisas.

 

 

Instrumentista

O instrumentista é o profissional que toca algum instrumento, como piano, violino, tuba etc.

Um instrumentista pode trabalhar em diversos lugares, em orquestras, como músico de sessão (que é um profissional que é contratado para ir até um estúdio e gravar músicas do contratante) e fazendo apresentações em eventos (seja solo, ou com uma banda ou quarteto).

Normalmente esses eventos são: casamentos, eventos corporativos, reuniões, jantares e até festas de aniversário. O cache varia bastante, depende onde vai tocar e o quanto é famoso.

 

Pode tanto ser sua profissão principal, como uma maneira de ganhar uma renda extra.

 

Maestro

O maestro ou regente, é a figura mais importante de uma orquestra, ele indica o tempo da música, quando cada músico deve começar a tocar, a melodia, ou seja, ele é quem dá a interpretação da música (é como se fosse um diretor).

Dentro de uma orquestra, o maestro também tem várias atividades relacionadas a administração, como selecionar o repertório, e escolher os novos músicos.

Normalmente um regente é um músico bastante experiente, que toca qualquer instrumento e acaba se tornando maestro. Mas hoje em dia, já existem faculdades de música que possuem habilitação para regência, e também cursos de regência em festivais de música.

De qualquer forma, um jovem não vai sair da faculdade e já se tornar um maestro, é preciso anos de experiência e estudo de música.

Existem diferentes maneiras para chegar a essa profissão, uma é ser nomeado pela direção que mantém financeiramente o lugar em que o maestro trabalha, ou então, ser escolhido pelos outros músicos, e raramente pode ser preenchido por um concurso público.

Em grandes orquestras o maestro sempre é convidado, não há um processo seletivo.

A remuneração desse profissional é bastante variável, depende do lugar que o maestro trabalha. 

 

Profissionais que trabalham em grandes orquestras ganham muito dinheiro.

Não é uma carreira fácil, pouquíssimos músicos se tornam maestros, demanda muito esforço e dedicação.

Produtor musical

Como o próprio nome diz, é o profissional que trabalha com produção musical. Ele é responsável por controlar a sessão de gravação e guiar os músicos e cantores, é quem faz a produção do CD e determina como vai ficar.

 

Supervisiona todas as etapas da produção musical, que são:

Pré-produção: Onde são definidos os arranjos e a estrutura das músicas.

Gravação: Na gravação, a programação da pré-produção é executada por instrumentos reais, e as músicas, que já estão preparadas, são gravadas.

Edição: A edição é onde é feito as correções e os ajustes, todas as notas tocadas vão ficar perfeitamente no tempo.

Mixagem: É na mixagem que o som de cada instrumento é limpado, permite que todos os instrumentos soe com clareza.

Masterização: Nessa fase as faixas são analisadas e homogeneizadas, em termos de sonoridade e volume. Completa o processo da mixagem.

 

O produtor musical precisa ter conhecimentos bastante diversificados sobre gravação e sobre as tecnologias que envolvem produção musical.

Precisa entender sobre hardware, software, teoria musical e composição. Também é necessário entender sobre o mercado da música, ser capaz de identificar o que é comercial e o que não é, entre outras coisas.

 

Da mesma forma que outras carreiras na música, essa também é bastante dependente de contatos.

Enquanto estiver na faculdade, procure um estágio ou uma vaga de emprego em uma equipe de produção. É importante que você conheça na prática como funciona esse mercado.

 

Os estágios nessa área estão bastante concentrados em grandes centros.

Você pode também produzir coisas por conta própria, ir construindo um portfólio e conhecendo pessoas.

O produtor musical é um prestador de serviços, ele é contratado para um projeto, não é um contratado de uma gravadora, seu salário não é um salário fixo.

 

Professor

Professor é uma das profissões mais importantes do mundo, ele não é só responsável por ensinar e apresentar a música ao aluno, mas também faz parte da sua formação como pessoa e como cidadão.

Se você quer ser professor, a faculdade de licenciatura em música é mais recomendada.

Hoje, o ensino de música é obrigatório no ensino fundamental, por conta disso, há uma grande demanda em escolas para contratar professores de música. Mas infelizmente, o salário não é muito atrativo.

Para trabalhar em escolas públicas é preciso passar por um concurso público.

Além de escolas, o músico pode dar aulas particulares para pessoas que estejam interessadas a aprender a tocar algum instrumento, ou cantar e aprender sobre música.

Se você decidir seguir esse caminho, deve lembrar que além de professor de música também será um empreendedor, e é preciso ter em mente que seu trabalho também vai ser um negócio.

 

 

Professor universitário e Pesquisador

O músico pode também dar aulas em universidades e contribuir para a formação de outros músicos. O professor que dá aulas em universidades, além de professor, normalmente é pesquisador também.

Para conseguir esse emprego é preciso seguir carreira acadêmica, e se dedicar muito aos estudos, fazer mestrado e doutorado.

A função do pesquisador é realizar pesquisas com intuito de obter mais informações sobre determinado assunto, contribuir para a melhoria de algo, e passar conhecimento.

Para trabalhar em uma universidade pública é preciso passar por um concurso, ou como temporário. Em faculdades particulares o que conta é o currículo acadêmico. 

​Um pesquisador/professor pode chegar a ganhar muito bem, mas para isso é preciso tempo e dedicação.

O início de carreira não paga muito bem, e os resultados também não aparecem rápido. ​

As pessoas que se dedicam completamente a pesquisa podem receber bolsas para se dedicar somente aos estudos. São ofertadas bolsas para mestrado, doutorado e para pesquisadores que participam de um determinado projeto. 

Essas vagas para pesquisadores normalmente são divulgadas no site das secretarias de extensão das faculdades. As bolsas normalmente são concedidas pelo CNPQ, CAPES ou alguma fundação, como a fundação Araucária.

Para conseguir uma bolsa é importante (não necessariamente determinante) ter bom desempenho acadêmico, realizar atividades acadêmicas e ir bem na prova do mestrado/doutorado.

Para seguir esta carreira é importante gostar de estudar, e se envolver no máximo de atividades acadêmicas que puder.

Quando ainda estiver na graduação, você pode participar de um projeto de iniciação científica, outros projetos de pesquisa e participar de eventos acadêmicos. A participação nessas atividades contam pontos no seu currículo.

Abaixo falamos sobre algumas áreas de pesquisa que o músico pode trabalhar.

 

Música e Cultura

Realiza estudos sobre a relação da música com a sociedade, com a cultura, e com história.

Performance Musical

Tem como foco a performance de um repertório. Essa área procura aperfeiçoamento técnico, de um instrumento, ou de canto.

Processos analíticos e criativos

Estudo de diversas modalidades de criação musical, composição, elementos de estruturação, arranjo, fonografia etc.

Sonologia

Aborda problemas de criação, estuda o material acústico e sua vinculação com atividades musicais. Estuda os processos de criação.

 

Orquestras  

Apesar de muita gente nem conhecer, existem muitas orquestras espalhadas pelo mundo, inclusive no Brasil. As orquestras mais famosas se encontram no exterior, onde a música clássica é mais popular.

Mas, no nosso país há ótimas orquestras também, a maioria delas são mantidas por prefeituras ou governos estaduais. Portanto quando uma orquestra quer contratar músicos é lançado um edital, onde são divulgados os processos seletivos.

Normalmente as seleções são uma audição, que pode ser de diversas maneiras. Podem pedir que o candidato execute uma obra que é dada na hora, ou então pedem para tocar uma música que escolheu etc.

Quem faz essa avaliação são os principais músicos das orquestras.

O seu currículo também pode ser analisado, se você já participou de concertos internacionais, festivais, se ganhou prêmios etc.

Nas orquestras internacionais o procedimento não é muito diferente, para entrar é preciso passar por um processo seletivo, que sempre envolve uma audição. Muitas vezes essas audições acontecem em vários países, inclusive no Brasil.

Para entender quem é quem

Gravadora: A gravadora grava a música, mas trabalha com artistas.

Produtora de áudio: Para quem quer passar uma mensagem ou uma ideia com áudio e música. Faz jingles, propagandas, em um jogo pode fazer as falas dos personagens e até trilhas sonoras.

 

Editora musical: A editora musical trabalha gerindo obras musicais, funciona como um meio de campo. Faz negociações com quem vai fazer um filme, uma propaganda (intermedia a compra de músicas).

 

Mas as editoras só atendem pessoas jurídicas, se você se interessa em disponibilizar suas músicas em uma editora, mas é uma pessoa física, precisa entrar em contato com o ECAD.

Se você tem uma música que tem um bom potencial de mercado, uma editora pode ter interesse em administrar essa música, e pode falar com um intérprete para gravar

Veja também sobre o curso de Música.